Musculação pode causar estrias: saiba como prevenir e tratar

Cuidado na busca para o corpo perfeito: estrias podem vir como surpresa indesejável. (Foto: iStock)
Exercícios físicos em excesso podem causar estrias? Para o espanto e desespero de alguns, sim. Na verdade, não é o exercício em si, mas sim a falta de cuidados durante a musculação que favorece o aparecimento edessas marquinhas indesejáveis.

Leia também:
8 maneiras de obter o melhor do seu corpo
Como preparar o corpo para uma dieta
40 milhões de brasileiros têm varizes em algum grau

Aparecimento de varizes durante a gravidez: causas e tratamentos

As estrias surgem após um rompimento da pele, quando as bordas se cicatrizam e formam uma linha deprimida na superfície cutânea, se tornando visível e um grande incômodo para mulheres e homens.
De acordo com o dermatologista Anderson Bertolini, diretor médico da Clínica Bertolini, as estrias aparecem principalmente quando a pele é esticada rapidamente, o que acontece devido ao crescimento muscular e à gravidez.

“Para quem deseja ganhar massa muscular a curto prazo, os cuidados devem ser redobrados, uma vez que as estrias podem aparecer por causa do ganho rápido de massa muscular. Na musculação, por exemplo, elas surgem principalmente nos braços, na área peitoral e nos ombros”, explica o dermatologista.

As estrias vermelhas representam a primeira fase do problema, ou seja, elas não se instalaram completamente na pele e o tratamento adequado pode ajudar a suavizar os efeitos. Já as estrias brancas significam que elas já estão instaladas no corpo e não será possível mais removê-las, já que se tornaram cicatrizes. Os cuidados nesta fase serão no sentido de amenizar e evitar o aparecimento de outras.

As pessoas que frequentam academias sofrem muito com as estrias, entre outros problemas ára a saúde que a busca pelo corpo perfeito pode trazer. “Os suplementos musculares e medicamentos para o ganho de massa podem acelerar o crescimento dos músculos. Essa elevação gera o estiramento da pele, causando a degeneração das fibras, que perdem a sua elasticidade. Quando as fibras não possuem colágeno o suficiente, elas se rompem e surgem as linhas vermelhas que com o tempo ficam brancas,” alerta Anderson.

Eliminando as estrias:

Para prevenir as estrias o melhor remédio é manter uma alimentação saudável e não deixar o organismo desidratar.
“Consumir muita água, sucos, frutas, verduras e usar cremes após o banho diariamente podem ser alternativas de prevenção. Para os praticantes de musculação, evitar os suplementos e medicamentos pode contribuir para que as estrias não apareçam. Elas não têm cura, porém existem diversos tratamentos que prometem amenizar o aspecto da pele”, informa o médico.

Conheça as melhores estratégias eficazes para combater as estrias:

Laser fracionado e subcisão
Esse é o tratamento indicado para estrias brancas, largas e profundas. O resultado só aparece depois de 30 a 60 dias, com várias sessões. Após a sessão, é comum a pele ficar inchada e apresentar alguns hematomas por duas semanas.
“O laser melhora a textura e alisa a pele. Ele aquece a epiderme, destruindo as fibras de sustentação. Para o tratamento é utilizado uma agulha com ponta cortante para descolar a derme profunda”, ressalta Anderson.

Radiofrequência
Já para estrias brancas, superficiais e estreitas com flacidez de pele, o tratamento mais aconselhado é a Radiofrequência. O aparelho estimula a produção de novas células de colágeno por meio de aquecimento tecidual agindo na derme. Procedimento indolor e de fácil execução, sem riscos em pacientes com peles mais escuras. “Depois da quarta sessão, aproximadamente, já se pode perceber uma melhora na textura e flacidez da pele, consequentemente melhorando o aspecto das estrias”. A região pode ficar avermelhada e quente durante a passagem do aparelho pela pele”, orienta o médico.

Laser fracionado

Esse laser consegue melhorar o aspecto da estria cerca de 30% na primeira sessão. O calor gerado pode causar desconforto e a área pode permanecer dolorida por alguns dias, mas os feixes de luz penetram nas estrias estimulando a produção de colágeno e elastina. Esse procedimento acelera o processo de cicatrização.

Intradermoterapia

O tratamento melhora as estrias de 70% a 80% e o resultado pode ser notado após cinco sessões.  As picadas são um pouco doloridas e deixam a pele sensível, por isso, evite usar roupas justas e usar cremes no dia da aplicação.
Alguns produtos aplicados, como o cobre, reagem com a enzima da pele que é responsável pela produção de melanina, impulsionando que a estria volte a ter a mesma tonalidade do corpo. Logo após a aplicação, é injetado na camada superficial algumas substâncias com o intuito de reconstruir e devolver a elasticidade.

Carboxiterapia

O gás carbônico injetado diretamente nas estrias promove vasodilatação local, aumentando o fluxo vascular e de oxigênio tecidual. Esse procedimento melhora a micro-circulação e a oxigenação dos tecidos, estimulando a formação de colágeno e novas fibras elásticas. Os números de sessões são dez, em média, sendo uma a cada 15 dias. O tratamento é um pouco dolorido e a pele pode ficar roxa de três a cinco dias.

Infravermelho e Ácido retinoico

O aparelho aquece as camadas mais profundas da pele, provocando a sua retração e produzindo mais fibroblastos, que são as células formadoras do colágeno e da elastina. Após três meses de tratamento, as linhas vermelhas melhoram de 40% a 80%.  Apenas não se assuste: nos primeiros dias de aplicação, as estrias ficam mais intensas, e apenas depois vai clareando aos poucos.

Luz intensa pulsada e Ácido retinoico

Esse tratamento possibilita que as estrias fiquem mais finas e o tom da pele, uniforme. O processo é delicado, e por isso a pele pode até descamar por cinco dias. Evite fazer exercícios físicos, tomar banhos quentes e expor a região ao sol.
“Aplicação da luz intensa pulsada sobre a pele regenera suas estruturas e trata os vasos dilatados, eliminando o aspecto avermelhado”, destaca Anderson.

Peeling de cristal e Ácido retinoico

O tratamento funciona da seguinte maneira: o peeling de cristal libera jatos de pó de óxido de alumínio para esfoliar a pele e facilitar a entrada do ácido retinoico. O aço tem a função de descamar a pele e estimular a produção de colágeno. A pele pode sofrer descamação suave depois do tratamento.

Vitamina C e Luz intensa pulsada

O procedimento é eficaz e o resultado já pode ser notado a partir da quarta sessão. A vitamina C é injetada com uma agulha na camada superficial da pele, agindo diretamente nos vasos de cor avermelhada. Ela estimula a aproximação das borás, deixando-as menos visível. Logo após isso, entra a luz pulsada que dispara uma energia para promover a contração da derme que ajuda no afinamento das linhas. As sessões devem ser feitas uma a cada 15 dias, com intervalo de três semanas.

Adeus, estrias!
Para acelerar os resultado dos tratamentos e amenizar o aspecto das estrias de uma só vez, Anderson Bertolini ainda receitou algumas dicas que são essenciais para prevenir e amenizar:

Alimentação:

A sua alimentação deve ser baseada em proteínas e vitaminas A, D e C. A proteína ajuda a melhorar a qualidade de sua pele. É importante consumir muita água, pelo menos de 8 a 10 copos por dia e diminuir a quantidade de chá e refrigerantes. Não faça treinos excessivos de musculação e evite ingerir medicamentos para ganhar músculos mais rápidamente.

Cremes:
Use cremes ricos em vitamina E ou óleos corporais, eles podem melhorar o resultado dos tratamentos.

Qualidade de vida:
Procure manter sua alimentação controlada, evite ressecar a pele se expondo muito ao sol e também o efeito “sanfona”, que significa emagrecer ou engordar constantemente. Converse com o seu dermatologista sobre as opções de tratamento para reduzir as marcas desse incômodo.

Carregando...

YAHOO MULHER NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Entretenimento