Alguma vez já imaginou essa combinação? (Foto: Thinkstock)
Quando o assunto é cerveja, os petiscos são indispensáveis, seja a picanha no churrasco de fim de semana, batatas fritas no barzinho ou o velho amendoim. Todas essas opções salgadas clássicas caem bem com a bebida fermentada, mas já pensou em apreciá-la acompanhada de chocolate? Especialistas cervejeiros demonstram que a queridinha dos homens pode se mostrar uma combinação infalível com o doce que é unânime entre as mulheres.

Diferentes tipos da bebida milenar fabricada a partir de cereais maltados, cujos primeiros registros remontam ao Egito Antigo, ganham cada vez mais espaço no mercado brasileiro, não apenas na alta gastronomia. Dentre os estilos lagers (baixa fermentação), ales (alta fermentação) e lambics (fermentação espontânea), nomes como pilsener, bock, dunkel, schwarzbier, weissbier, pale ale, stout, porter, bitter, fruit lambic e old ale vêm preenchendo as prateleiras de supermercados. Afinal, em meio a tanta variedade de bebidas com características distintas, o que devemos levar em consideração para acertar na escolha da cerveja quando a intenção é saboreá-la com um delicioso brownie ou uma intensa mousse de chocolate?

O sommelier de cerveja Alexandre Marcussi, formado pelo Senac e autor do blog O cru e o maltado, explica que devemos buscar cervejas que sejam proporcionalmente intensas ao sabor e à sensação marcante do chocolate, para que nenhum dos dois lados seja ofuscado. Aspectos como o amargor do lúpulo, o teor alcoólico e a acidez da bebida devem complementar a gordura da manteiga de cacau, a torrefação das amêndoas de cacau e a doçura do chocolate. Porém, ele relembra que não existe uma única regra a ser aplicada. Com base nesses aspectos, "é possível buscar vários tipos de equilíbrios, semelhanças e contrastes entre os dois alimentos".

Já Kathia Zanatta, bier sommelière pela Doemens Akademie de Munique e co-fundadora do curso de Sommelier de Cervejas pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), aponta uma direção mais certeira para os iniciantes. Segundo ela, as cervejas escuras são mais versáteis nesse caso, pois apresentam aromas similares àqueles encontrados no chocolate, como aromas de frutas secas, cappuccino, tostados e até mesmo aromas de cacau.

Aprenda a harmonizar cerveja e chocolate
E um recado importante, os dois especialistas são categóricos ao afirmarem que a pilsen, a cerveja que mais agrada aos brasileiros, tem de ser evitada na harmonização com chocolate, pois essa bebida leve não possui as características adequadas para ser combinada com esse doce. Além disso, tenha cuidado ao tentar aproximar os extremos. Bebidas muito tostadas e com alto grau de amargor não casam bem com sabores demasiadamente adocicados, como o de brigadeiros e alguns chocolates ao leite.

"O fascinantes das harmonizações de cervejas mais tostadas com chocolate é que este sabor amargo [da cerveja] na maioria das vezes desaparece! É então que acontece a grande quebra de paradigmas para muitas pessoas que passam a provar também estilos de cervejas mais amargos. De foma geral, a interação entre as notas amargas tostadas da cerveja e a doçura do chocolate levam à intesificação do sabor do cacau/chocolate e à redução do amargor", esclarece a sommelière.

Confira abaixo algumas opções dos sommeliers para harmonizações com chocolate branco, ao leite e amargo.

Chocolate branco: Fruit Lambics, Flandres Red Ales e versões mais alcoólicas e aveludadas de Old Ales para realçar o contraste entre a acidez da bebida e a doçura desse tipo de chocolate, que traz leite e manteiga de cacau em sua composição.

Kriek Boon (R$ 29,90, 375 mL) - Bélgica

Possui uma forte acidez que corta a gordura do chocolate branco e um sabor de cerejas que o complementa. Estilo: cerveja de fermentação espontânea Fruit Lambic. Teor alcoólico: 4,5% ABV.

Chocolate ao leite: Dubbel, Belgian Dark Strong Ales e Old Ales, pois são intensas e apresentam notas frutadas e não são excessivamente torradas. Dessa forma, são uma combinação perfeita para a torrefação e o nível de gordura mediano do chocolate ao leite.

Chimay Blue (R$ 18,50, 330 mL) - Bélgica

Tem a potência alcoólica e o amargor necessários para equilibrar a doçura do chocolate ao leite, além de notas tostadas, de frutas secas, caramelo e de especiarias. Estilo: Belgian Dark Strong Ale. Teor alcoólico: 9% ABV.

Chocolate amargo: Schwarzbier, Porter, Stout e Imperial Stouts exibem fortes níveis de torrefação e álcool para casar com o amargor dos chocolates com as mais altas concentrações de cacau.

Wäls Petroleum (R$ 17,50, 375 mL) - Brasil

Cremosa e acetinada, apresenta potência alcoólica e sabores de café, cacau e frutas passas que não são sobrepujados pela intensidade do chocolate amargo. Estilo: Russian Imperial Stout. Teor alcoólico: 12% ABV.

Após absorver todas essas informações, por que você aproveita para organizar uma noite de degustação de cervejas e chocolates com seus amigos? Uma dica é organizar a complexidade de sabores em ordem crescente; dos chocolates e cerveja de sabores mais delicados aos mais intricados. Recomenda-se deixar o chocolate em temperatura ambiente a fim de não prejudicar a sensibilidade das papilas gustativas dos convidados, conforme o guia de degustação da marca de chocolates artesanais Amano. Além disso, a carbonatação da bebida, informa a Cervejaria Eisenbahn, limpa os fortes traços residuais de alimentos na boca, deixando o paladar pronto para experimentar novos sabores.

Referências de pesquisa de preços:

http://www.paodeacucar.com.br/home

http://www.puromalte.com.br/eloja/

Referências:

http://www.brejas.com.br/

https://www.amanochocolate.com/

http://www.eisenbahn.com.br/web/site/inicio.php

Carregando...
 

YAHOO MULHER NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Entretenimento