Preliminares

Troca de casais e as regras do swing

Você está preparado para participar de um swing? (Foto: iStock)Sempre digo aqui que cada um sente prazer de uma forma, que desejos, tesão e fetiches são únicos e cada um os encara de uma maneira. E um dos grandes tabus atuais é o desejo que algumas pessoas têm em ver seu parceiro sentindo prazer com outro alguém. Esse é o swing.

E a relação, vai bem?
A primeira coisa que você precisa pensar quando sente vontade de praticar a troca de casais é como anda seu relacionamento. Se as coisas não estiverem bem é melhor procurar terapia, o swing não é o lugar para melhorar as coisas.

A confiança entre o casal deve ser imensa e não pode existir insegurança de nenhuma das partes, ou a experiência pode ser um veneno.

Combinado não sai caro
Quando você tiver certeza que você e o parceiro estão seguros e preparados, é hora de conversar sobre as regras. Pois é, nada existe na nossa sociedade sem regras bem definidas e que deixam todo mundo sabendo qual o jogo.

É nessa hora que vocês entram em concordância sobre como vai ser, qual será o lugar e até que ponto vocês vão chegar. Muita gente acha que é genial fazer uma surpresa e levar o outro em um swing, mas isso pode destruir a noite, o relacionamento e a autoestima, então tome cuidado!

Você vem sempre aqui?
Ao chegar no swing prepare-se para ser abordado e ver sua companhia sendo paquerada. Homens e mulheres estão lá exatamente para isso e a partir do momento que você entra no jogo, sabe as regras. Nada de ficar emburrada ou com ciuminho!

Ao começar a brincadeira mantenha todos seus sentidos em alerta, você não quer perder um olhar ou um toque que podem significar sua primeira experiência, quer? A sutileza está sempre presente na festa.

É claro que você não precisa fazer nada que não sinta vontade e quem prefere só ficar olhando é respeitado do mesmo jeito. Lembre-se de sempre ser educado e não tratar as pessoas como objetos. Todo mundo está ali para se divertir e quer ser respeitado.

Leia também:
O universo paralelo das casas de swing

Saiba quais benefícios o sexo traz para sua saúde

Quantas pessoas você consegue amar ao mesmo tempo?

Sexo no celular

Quais são seus limites?
Se tem uma coisa que é comum numa casa de swing é ouvir um não. Pode tirar da sua cabeça a ideia de que chegando lá ninguém é de ninguém e a sacanagem rola solta. Para dar certo você precisa saber dizer e ouvir um não. E não, sempre, quer dizer não.

Isso também - e principalmente - vale para você e seu parceiro. Se a outra pessoa não quiser participar, ela deverá ser respeitada. Não seja insistente, isso não é visto com bons olhos — nem no swing, nem no dia a dia.

Anonymous
Nem você, nem ninguém, quer ser apontado como o fulano do swing. Sua vida pessoal e todo mundo que frequenta essas festas deve continuar pessoal. Sabe a primeira e a segunda regras do Clube da Luta (aquele filme do Edward Norton e Brad Pitt)? Elas servem, adaptadas, para o clube de swing: (1) você não fala sobre o Clube de Swing e (2) você não fala sobre o Clube de Swing. E nem sobre as pessoas que o frequentam. Entendido?

Não fale seu nome, telefone, endereço, nome de amigos ou onde trabalha. Nesse momento o que importa é o que você curte, sexualmente falando. Você não vai ao clube de swing fazer amigos, você vai fazer sexo.

O par
Muitos homens têm a ideia genial de contratar uma garota de programa para acompanhá-lo ao swing. Isso não funciona e não é visto com bons olhos.

Muitas mulheres têm a ideia genial de ir com um cara com quem não tem a mínima intimidade para a casa de swing, para mostrar como é moderna e livre. Isso não funciona.

Na hora de escolher a companhia para esse momento, você deve pensar em alguém com quem tenha intimidade, carinho e respeito. Pode ser um amigo ou amiga, mas que seja seu cumplice, que entenda em um olhar o que você quer dizer.

A escolha errada pode acabar com a sua noite e do resto dos participantes também.

Antes, durante e depois
Antes de ir para o encontro, tome um bom banho e cuide de você. Sua higiene deve ser impecável, afinal seu corpo é tudo o que você tem em um momento como esse.

Existem comunidades de swing, casas de swing e casais que fazem a troca com conhecidos e desconhecidos. Para sua segurança, prefira sempre lugares públicos e de fácil acesso.

Ao chegar, sente em um canto, tome uma bebida e relaxe. Observe as pessoas, como elas se comportam e o que está acontecendo ao seu redor — isso é bom para qualquer situação da vida, saiba onde está pisando.

Mas tome cuidado, ficar bêbada não é uma boa ideia. Você pode perder noção do que realmente quer, de como agir e dar trabalho para todo mundo. Seja responsável.

Depois de um tempo assim, vá com seu acompanhante dar uma olhadinha nos lugares reservados para o sexo propriamente dito. Observe e permita-se aproveitar as sensações do momento.

Depois disso, volte ao bar e é hora de conhecer pessoas. Quando escolher um casal ou uma pessoa para se divertir com vocês, combine os mínimos detalhes, converse sobre o que vocês gostam ou não e deixe claro até onde vão chegar.

Duas modalidades de swing que você precisa conhecer para definir seus limites são o soft swing, em que são permitidas carícias, beijos e sexo oral, mas não há penetração; e o hard swing, em que a penetração também entra em jogo.

Você não está dirigindo um filme
A partir do momento que você resolve entrar numa brincadeira dessas é porque quer descobrir coisas novas, ter sensações diferentes e descobrir prazeres que você nem imaginava; então nada de ficar dizendo para a outra pessoa o que ela deve fazer ou como seu parceiro prefere ser tocado. Se você estiver apenas assistindo aproveite para aprender mais sobre seu companheiro.

Sexo, sexo; sentimentos à parte
Swing não é lugar para se apaixonar, arrumar namorado ou decidir mudar sua vida do dia para a noite. É claro que isso pode acontecer, mas saber separar sexo e sentimento.

Acessórios básicos
Tem coisas que sinto que nem deveria precisar dizer pra você, mas vamos lá: você tem que usar camisinha sempre. Pode parecer óbvio, mas tem muita gente que ainda acha que é imune às doenças.

Além de levar com você uma boa quantidade de camisinhas — boa mesmo -, é legal você ter no seu kit swing um par de toalhas, escova de dente, sabonete, roupa íntima, bom humor e muito tesão. ;)

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda pra mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).

Sobre Carol Patrocínio

Jornalista, passou por revistas impressas e pelos maiores portais do país. O interesse por escrever sobre sexo, comportamento e relações surgiu ao notar que essas informações poderiam melhorar a autoestima das mulheres e a percepção de si mesmas. Acredita que, muito mais do que prazer, sexo é autoconhecimento. Carol escreve no Preliminares desde dezembro de 2011.

Siga o Yahoo Entretenimento