Preliminares

Preliminares responde: qual o papel da pornografia no relacionamento?

Hoje resolvi juntar duas perguntas que recebi por e-mail para responder de uma vez só. Como as questões se complementam, matamos dois coelhos e tal.

"Oi! Há umas 2 semanas vi no computador que meu marido visita sites pornôs e reparei que é somente quando ele bebe. Somos casados há 3 meses, namoramos durante 7 anos e vivemos muuuuito felizes, sem qualquer problemas na cama (pelo menos que me faça entender o porquê disso), somos muito amigos, amantes e companheiros, nossa vida é um livro aberto (exceto neste episódio). Confiamos muito um no outro. Será que é somente curiosidade ou instinto masculino? Obrigada"

"Sou casada há 10 anos e peguei meu marido recentemente olhando fotos da Playboy, fiquei indignada porque tenho a autoestima muito baixa, sempre fui assim antes e depois da gravidez. Tenho muita vontade de fazer um ensaio sensual ou alguma coisa que chame a atenção dele pra mostrar que eu posso ser mais bonita que essas mulheres. O que eu posso fazer?"

Se eu perguntar aos homens se ver pornografia é traição, a maior parte deles vai dar risada e dizer que obviamente não é. Já se eu perguntar para mulheres, uma boa parte vai ficar em dúvida e dizer que não gosta que seu marido/namorado veja esse tipo de coisa porque tem ela em casa e blablablá. Isso acontece porque fomos ensinadas a pensar assim, meninas, mas nem tudo o que nos ensinaram é o certo de verdade!

Leia também:
Sexo depois do casamento: escassez e dúvidas
Entenda por que eles gostam tanto de pornografia

Peluda, peludinha ou careca. Como os pelos influenciam o sexo?

A posição certa para seu orgasmo

Primeira coisa: ter um relacionamento não faz com que sua curiosidade diminua, que seu olhar deixe de notar pessoas interessantes por onde passa ou que você deixe de ter fantasias e fetiches. Tudo isso é natural.

Pornografia é traição? Para mim, não. Se ver pornografia for traição, masturbação também é e você acaba de tirar a oportunidade da pessoa que você ama de ter um momento íntimo, de autoconhecimento e que pode ser um ponto importante na hora da relação de vocês.

Tendo isso em vista, vou responder algumas questões dos e-mails:

'Será que é somente curiosidade ou instinto masculino?'
Essa coisa de instinto masculino não existe. A diferença entre o homem e a mulher é que ele foi ensinado que gostar de sexo, pornografia e ter curiosidade nessa área é algo saudável, enquanto a mulher foi ensinada que não pode nem olhar pra esse tipo de coisa, pois isso é para mulher que não presta.

Se a gente seguir nesse raciocínio, mulher que não presta seria aquela que se interessa por sexo, mas se você não se interessa pelo assunto é frígida. Tem algo errado aí, não? Mulheres e homens se interessam por sexo, têm curiosidade, tesão e não há nada de errado nisso! Nada errado, entendeu?

'É somente quando ele bebe'
Esse comentário me deixa muito mais preocupada do que a pornografia. Se você conseguiu encontrar um padrão é porque ele vê muita pornografia e se só faz isso bêbado, ele anda bebendo demais.

Será que a solução aqui não é entender porque ele bebe e faz coisas que não está acostumado?

'Vivemos muuuuito felizes, sem qualquer problemas na cama (pelo menos que me faça entender o porquê disso)'
Pornografia não resolve problema sexual de ninguém. Mas pode ajudar! Se você não gosta que ele veja pornografia, mas impedi-lo de fazer isso não é algo bacana, que tal se unir a ele?

Se a vida sexual de vocês está boa, pode ser hora de inovar. Assista aos filmes com ele, comente o que acha e leve a brincadeira para a cama. Você o tira da frente do computador e ainda aproveita o ânimo do gato. Gostou?

'Fiquei indignada porque tenho a autoestima muito baixa'
Ele pode melhorar sua autoestima? Pode! Ele deve fazer isso? Deve! Quando a pessoa que a gente ama diz que somos lindas, sexies e que não precisamos mudar quem somos, isso nos deixa no céu.

Infelizmente não são todas as pessoas que têm essa sensibilidade e vão ajudá-la a se amar mais. E aí não importa se ele está vendo fotos de mulheres incríveis ou assistindo uma novela, você sempre vai se sentir insegura porque o problema não é o que ele está fazendo, é o que está na sua cabeça e o que você gostaria que ele fizesse em relação a você.

Mulheres são fortes e podem, sim, mudar muita coisa sozinhas — é claro que eu acho que um homem que não a valoriza não merece estar com você, mas essa é uma escolha sua, que tem de ser respeitada — então procure ajuda, encontre pontos positivos em você e faça o que sentir necessário para se tornar mais segura. Se você acha que se ficar gostosona vai se sentir melhor, malhe. Se acha que precisa ser mais interessante, mantenha-se informada, leia bons livros e assista bons filmes. Se acha que tem que ser mais livre sexualmente, trabalhe internamente essa ideia e a coloque em prática.

'Tenho muita vontade de fazer um ensaio sensual ou alguma coisa que chame a atenção dele'
Vamos pensar na pior hipótese em relação a isso? Você faz o ensaio, o que vai sentir quando ver as fotos? Se você é tão insegura como diz, vai encontrar um milhão de defeitos em tudo. Mesmo que não ache, você vai esperar que ele tenha um tipo de relação, e se ele não tiver?

Antes de querer agradar alguém você precisa agradar a você mesma. Primeiro de tudo é se amar, gostar do que se vê, do que se sente. E quando isso estiver sendo feito, as pessoas vão começar olhar pra você com outros olhos.

E você precisa mesmo mostrar que pode "ser mais bonita que essas mulheres"? Precisa provar isso pra quem? Por quê? Que tal entender seus motivos, entender o que você está sentindo e só então pensar no assunto?

Acho que ensaios sensuais feitos por mulheres normais são lindos, melhoram a autoestima e fazem a gente se sentir deusas com toda aquela produção, mas melhor do que isso é se amar tanto que você sente que poderia ser fotografada sem make, produção ou qualquer coisa, apenas como você é.

Qual o tipo de pornografia?
Na internet você encontra de tudo. Desde um porno soft, com cenas de sexo papai e mamãe, até coisas bem pesadas. Além disso, encontra vídeos que simulam ações proibidas por lei, portanto crimes, como estupro, zoofilia e pedofilia — a lista é imensa, mas vou focar só nesses.

Se eu marido vê pornografia soft — seja hetero, gay ou trans* - é só pornografia, não tem nada além disso. O problema é quando a pessoa está vendo cenas de estupro, pedofilia ou zoofilia e se sente atraído, aí você deve conversar, tentar entender o que o motiva e pensar bem se ele não precisa de ajuda profissional.

Quem se excita com uma cena de estupro vai estuprar? Nem sempre, mas tem algo errado na maneira de entender aquilo e de entender o que é uma relação sexual. O mesmo vale para pedofilia e zoofilia. Não quer dizer que a pessoa vai fazer sexo com crianças ou animais, mas ter tesão em ver aquilo pede um bom cuidado e tratamento psicológico. Pelo bem de todo mundo.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda pra mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).

Sobre Carol Patrocínio

Jornalista, passou por revistas impressas e pelos maiores portais do país. O interesse por escrever sobre sexo, comportamento e relações surgiu ao notar que essas informações poderiam melhorar a autoestima das mulheres e a percepção de si mesmas. Acredita que, muito mais do que prazer, sexo é autoconhecimento. Carol escreve no Preliminares desde dezembro de 2011.

 

Siga o Yahoo Entretenimento