Preliminares

Falta de libido? Mude isso já!

Muita gente me envia e-mails, mensagens no Facebook e no Twitter falando sobre a falta de libido que sente ou que o parceiro tem. Aqueles papos de que mulher se interessa menos por sexo do que homem e que homem sempre tem vontade de transar são grandes besteiras que só nos dão dor de cabeça.

Freud, o pai da psicanálise, diz que a gente tem uma fonte de energia separada para cada um dos instintos e fazer sexo é um deles. O que temos que lembrar é que uma das características da libido é sua mobilidade, então a energia que você poderia direcionar ao sexo pode ser usada para melhorar outros focos de atenção na vida.

Sabendo isso, é bom notarmos que se as coisas não estiverem bem, se você estiver com problemas familiares, de grana ou de saúde, você não vai mesmo sentir vontade de ir para a cama. E isso acontece com homens e mulheres. Se você me disser que sempre que tem problemas fica cheia de tesão eu diria pra você procurar um médico, porque o que você está fazendo é o mesmo princípio de quem bebe — o faz para esquecer ou comemorar, escondendo um vício.

Mas se você está com tudo nos eixos e sua vontade de fazer sexo se tornou quase inexistente — ou se você até tem vontade, mas fica com preguiça na hora 'h' — eu sei como te ajudar. Quer saber como?

Exercite seu cérebro
Normalmente as mulheres que dizem estar sentindo falta da libido estão em relacionamentos e podem, teoricamente, fazer sexo sempre que ela e o parceiro sentirem vontade. O que muitas vezes esquecemos é que o corpo precisa estar aquecido, como um motor.

Crie um plano de ginástica para sua libido. Escolha um dia da semana para se interessar em sexo. Nesse dia você vai acordar já com isso na cabeça, pensando que nesse dia você fará sexo de ótima qualidade. Passe o dia lendo a respeito do assunto, enviando mensagens para seu companheiro e mantendo sua cabeça sempre focada no que vai acontecer no fim do dia.

Quando chegar a hora, esqueça o frio e a preguiça de tirar a roupa, esqueça o calor e a preguiça de suar. Vá à luta! Pode ser que não seja o melhor sexo da sua vida, mas será uma pequena amostra de como você pode melhorar nessa brincadeira.

Aposte nos acessórios
Existem diversos tipos de brinquedinhos para apimentar a vida sexual. E vários deles podem ser usados sozinha também. Use géis de massagem, compre um vibrador, tome banhos longos e volte a conhecer seu corpo.

Ninguém pode fazer com que a sua libido volte a ser como você gostaria — além de você mesma. Para mudar o que você está sentindo é preciso que corpo e cabeça trabalhem juntos para melhorar sua vida sexual.

Procure ajuda profissional
Calma, não estou dizendo pra você procurar um médico, um garoto de programa ou algo do tipo, é só um massagista — se bem que você você achar que qualquer uma dessas opções pode te ajudar, não sou eu quem vai dizer para você não seguir em frente.

Existe um tipo de massagem chamada Karezza em que o terapeuta usa conhecimentos orientais para melhorar sua vida sexual. O foco dessa prática são na região das costas, quadris e nádegas, pernas e pés e, segundo os especialistas, deve ser feita diariamente — por você mesma ou pelo parceiro.

Tudo começa com as mãos pressionando a área cinco dedos abaixo do umbigo por dois minutos, depois disso a massagem segue pelo resto do corpo. O ponto chave para conseguir o sucesso com esse tipo de terapia é segurar a onda: só é indicado fazer sexo depois de cinco dias de tratamento. Mas dizem que a espera vale a pena.

O mais importante de tudo isso é melhorar a libido porque você mesma sente essa necessidade e não pela cobrança externa. Tudo o que você faz deve ser por você e não por outros motivos.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda pra mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).

Sobre Carol Patrocínio

Jornalista, passou por revistas impressas e pelos maiores portais do país. O interesse por escrever sobre sexo, comportamento e relações surgiu ao notar que essas informações poderiam melhorar a autoestima das mulheres e a percepção de si mesmas. Acredita que, muito mais do que prazer, sexo é autoconhecimento. Carol escreve no Preliminares desde dezembro de 2011.

Siga o Yahoo Entretenimento