Preliminares

Ciumento ou controlador, qual a diferença?

Esse é um daqueles assuntos que não têm meio termo: ou a pessoa acha legal ter alguém ciumento ao lado ou odeia qualquer tipo de crise por causa do assunto. Há até quem acredite que ciume apimenta a relação e faz com que você se sinta mais amada. Tem algo errado aí.

Ciume é insegurança e falta de confiança. Se você confia em você, no que você dá pra quem está contigo e no que tem de volta, se age com sinceridade e tem um relacionamento em que o diálogo funciona, pra que vai ter ciume?

É claro que existem os casos crônicos, em que a pessoa não consegue se controlar e precisa da ajuda de psicólogos para entender o que acontece com ela mesma. Mas essa não é a maior parte dos casos. Acredite!

E nos casos ditos normais, até onde é um ciuminho besta e quando passa a transformar a pessoa em um controlador inveterado?

Ciuminho básico
Tem dias em que você não acorda bem. Se sente feia, nenhuma roupa serve ou fica bem e sua vontade é nem sair de casa. Homens também passam por isso. E se nesse dia, bem nesse dia horrível, você resolver olhar pro lado quando passar um gato, ele vai se sentir triste.

Esse é o tipo de ciume que dá pra entender. Aconteceu hoje e pronto. Não vai acontecer amanhã e depois.

A linha fina
Se tem um amigo que é muito amigo e o gato não curte, é hora de explicar os limites das relações. Mas você também não pode ser a maluca que não quer que ele fale com as amigas que sempre teve. Amigos são ótimos, fazem com que a gente se sinta bem e feliz, mas de uma forma diferente do que um namorado faz.

Se você entende isso e ele também, não tem porque viver crises. Mas se um dos dois resolver tomar conta da vida do outro, é hora de se preocupar.

Controle na mão
Imagine que você está vendo TV e a cada canal que você escolhe ele tira o controle da sua mão, escolhe o canal que ele quer e ainda diz que você não tem razão de reclamar porque ele sabe muito bem o que você queria ver naquele canal. Parece loucura? E é!

Na vida é isso que muitos homens fazem: tiram o controle das suas coisas da sua mão e ainda fazem com que você sinta que errou em algum momento.

Esse é o caso mais difícil de resolver, porque o cara — ou a garota - acha que está certo e que é assim que as pessoas devem se relacionar, com um tendo mais poder que o outro, um dando ordens e o outro obedecendo.

Isso não faz bem para a maior parte das pessoas e pode destruir não só o relacionamento, mas a autoestima e o pique do dia a dia.

Tem quem goste
Essa é a verdade, tem quem ache que isso é amor. Que a pessoa que quer saber de todos os seus passos, seus horários e todos os menores detalhes do seu dia está interessada e se preocupa. Isso também é carência.

Cada um vive o amor de uma forma, mas se sentir preso não é sentir-se amado. Sentir-se preso é sentir-se preso, nada mais. Amor é um sentimento bom, que faz sorrir e não tem nada de sofrimento.

Esse papo de que a gente tem que sofrer pra ser feliz é pura enrolação. Felicidade traz sorrisos. Amor traz sorrisos. Sentimento de escravidão e controle é outra coisa.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda pra mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).


Festa Junina

Sobre Carol Patrocínio

Jornalista, passou por revistas impressas e pelos maiores portais do país. O interesse por escrever sobre sexo, comportamento e relações surgiu ao notar que essas informações poderiam melhorar a autoestima das mulheres e a percepção de si mesmas. Acredita que, muito mais do que prazer, sexo é autoconhecimento. Carol escreve no Preliminares desde dezembro de 2011.