Preliminares

Toxina botulinica pode resolver problemas sexuais femininos

O botox não serve apenas para resolver o problema das rugas, aponta pesquisa (Foto: Thinkstock)
Sempre que pensamos em toxina botulínica, nosso cérebro nos bombardeira com imagens de pessoas com o rosto sem expressão, totalmente esticados e assustadores — pelo menos é o que acontece comigo! Mas ela tem várias outras aplicações muito mais interessantes do que deixar o seu rosto paralisado.

A novidade que interessa a muitas mulheres — muito mais do que acabar com as rugas -, vem, de acordo com o jornal Extra, de estudos clínicos feitos por um médico americano para tratar o vaginismo.

Leia também:
Falta de libido? Mude isso já!
Intimidade: o que é isso, afinal?
Agredir psicologicamente também é crime

Já falei sobre a doença aqui, mas explico novamente: o vaginismo faz com que a vagina contraia-se involuntariamente, gerando uma dor muito intensa no corpo feminino. O problema acontece com cerca de 5% da população e pode ter entre suas causas traumas sexuais.

A ideia do médico é aplicar a toxina botulínica nos músculos da entrada da vagina, o que faria com que os impulsos nervosos não mais passassem por ali, impedindo sua contração. Assim, a mulher conseguiria manter a musculatura vaginal relaxada e fazer sexo sem sentir dor.

Nesse início dos testes, entre as 80 voluntárias, apenas uma não apresentou melhoras. No Brasil, infelizmente, ainda não existem autorizações para estudos nessa área.

Você tem alguma dúvida sobre sexo? Manda pra mim no preliminarescomcarol@yahoo.com.br e siga-me no Twitter (@carolpatrocinio).

Sobre Carol Patrocínio

Jornalista, passou por revistas impressas e pelos maiores portais do país. O interesse por escrever sobre sexo, comportamento e relações surgiu ao notar que essas informações poderiam melhorar a autoestima das mulheres e a percepção de si mesmas. Acredita que, muito mais do que prazer, sexo é autoconhecimento. Carol escreve no Preliminares desde dezembro de 2011.

Siga o Yahoo Entretenimento