Mãe de Salto Alto

As crianças entre os animais

Oiê! Se você, leitor ou leitora, tem filhos e mora em cidade grande como eu, sem muito acesso a natureza, vai se identificar com o texto abaixo. Escrevo depois de passar a Páscoa no interior, na casa dos meus pais, em uma chácara linda onde eu cresci e minhas filhas vão crescer. Que privilégio!

Leia também:
A indústria das festas infantis
Rotina para os bebês


Desde que a Nina nasceu (há um ano e nove meses), aqui em São Paulo, cercada de concreto por todos os lados, vi meu pai com uma preocupação muito grande de que ela tivesse contato com animais. Tudo bem que na minha casa ela convive com dois cachorros. Mas, pra ele, não era suficiente. Ele queria muito mais!

A sorte é que, por morar numa chácara, ele tem espaço pra fazer o que queria: um mini “zoológico”. O vovô Vicente comprou uma vaquinha que dá leite, uma égua de charrete (que a Nina monta sempre que quer), ganhou peixes, passarinhos, cinco cachorros!

A Nina ama (a Maitê, com um mês e meio, ainda é muito pequenininha, mas acho que vai gostar, futuramente). Ela dá comida pros bichos, ajuda o avô a dar banho no cavalo, brinca com os cachorros, corre atrás das galinhas...nem parece que mora em São Paulo, tão longe dessa realidade do campo! Que bom. Nesse domingo eu entendi, finalmente, a ideia do meu pai. E me emocionei.

Ele me disse que quer que minhas filhas cresçam como eu cresci: cercada de verde e de animais. Porque o resultado disso, segundo ele, é um adulto melhor. Que respeita o próximo. Seja ele humano ou animal.

Claro que em São Paulo não dá pra ser assim mas, em Valinhos, onde ele mora, dá! Sendo assim, ele não pensou duas vezes! Juntou um monte de bichinhos no lugar que ela mais frequenta aos finais de semana, a casa do vovô! No domingo eu vi isso tudo dar resultado: ao vê-la correndo entre os animais percebi o quanto ela gosta deles, o quanto se sente bem sendo livre, sem medos.

Gostaria muito que minhas filhas tivessem a infância parecida com a que eu tive. E, mesmo tendo que morar em São Paulo por causa do trabalho, acho que estou conseguindo, graças a meu pai! 

A Nina não tem medo de nada, rola no chão com os bichinhos, na lama, na grama, volta pra casa imunda, cansada e feliz. E com um presente de Páscoa nas mãos que é a cara do meu pai: dois coelhinhos. De verdade!

Beijos,
Pati

Sobre Patrícia Maldonado

Patrícia Maldonado, 37 anos, é mãe de Nina e Maitê, além de esposa, filha, dona de casa e apresentadora de TV (atualmente ela está na Band). Ufa! Apesar de parecer que a vida dela é um caos, dá tudo certo no fim! No blog Mãe de Salto Alto, Patrícia escreve sobre os desafios da maternidade, repercute notícias sobre o tema e fala de suas experiências como mãe. O objetivo é trocar ideias! Um bate-papo virtual.

Siga o Yahoo Entretenimento