Proteja sua família da dengue

Saiba quais são as dicas mais importantes para evitar criadouros – e o que fazer em casos de suspeita da doença

Dengue causa febre e mal-estar.

Com a chegada do verão chega também uma preocupação extra para a saúde das famílias: a dengue. Isso porque durante essa época o mosquito Aedes aegypiti se prolifera mais, segundo o infectologista Stefan Cunha Ujvari, autor dos livros A história e suas epidemias e A história da humanidade contada pelos vírus, entre outros.

“Os ovos eclodem na presença de água, portanto há mais mosquitos durante as chuvas típicas do verão”, explica. “Além disso, os mosquitos preferem o calor para reprodução.” Isso não quer dizer, claro, que eles não se proliferam em outras épocas do ano – mas em verões quentes e chuvosos é preciso tomar especial cuidado.

Ao contrário do que acontece no caso de outros mosquitos, o mosquito da dengue é típico de áreas urbanas, e não de matas; mesmo assim, casas em áreas rurais, fora do perímetro urbano, também podem ser foco da proliferação da espécie.

O cuidado essencial para evitar os criadouros de mosquitos da dengue é o que todo mundo já sabe: não deixar água parada, como reservatórios que possam coletar água da chuva. “Qualquer coleção de água pode ser depósito dos ovos, mesmo as mais inusitadas: pneus, jarros, potes, garrafas, copos, vasilhames, pratos de vaso de flor, ralos, caixa d’água destampada, piscinas abandonadas, latrinas não utilizadas em banheiros dos fundos das casas, lonas, calhas de telhados obstruídas, lajes com irregularidade da superfície, lixos, plásticos abandonados, reservatório destampado de água de descarga de latrina em banheiro não utilizado nos fundos da casa etc.”, diz Stefan. Vasculhe o quintal e o interior da casa para garantir que não haja reservatórios com potencial de armazenar essa água.

Dengue x repelentes
Segundo o médico, os repelentes podem funcionar contra os mosquitos da dengue, mas precisam ser reaplicados pelo menos a cada 4 horas para garantir a eficácia. Por não serem usados, em geral, durante o verão todo e todo o tempo, não dispensam outros tipos de proteção, como telas em janelas e portas, mosquiteiros nas camas e, em especial, a eliminação de reservatórios de água nas redondezas da casa.

Inseticidas também podem ser eficazes, mas não costumam ser indicados, pois os mosquitos podem ser resistentes a determinados tipos. “O uso domiciliar pode ser mal empregado pelo morador, gerando resistência do mosquito e uma falsa ideia de proteção”, diz o médico. “Lembre também de que o mosquito habita o interior do domicílio e as adjacências.”

Suspeita de dengue
A suspeita da doença vem quando se apresenta alguns sintomas clássicos, em especial um quadro febril, com dor de cabeça ou atrás dos olhos; prostração ou dores articulares; dores musculares; manchas vermelhas no corpo; náuseas; vômitos; diarreia. “Todo paciente com suspeita de dengue deve iniciar hidratação oral, beber bastante líquido e procurar um pronto socorro, porque a complicação da doença ocorre por lesões nos vasos sanguíneos que precipitam a saída de líquido sanguíneo”, explica Stefan.

Fique atento ainda a sinais de complicação da doença, que incluem escape de líquido do sangue para o abdome, podendo causar dor abdominal e vômitos frequentes; escape do líquido do sangue, podendo reduzir a pressão arterial, com sintoma de tontura ao se levantar; escape do líquido, que reduz a quantidade de sangue aos rins e, portanto, a quantidade de urina; extremidades ficarem roxas ou frias; escape do líquido aos pulmões, podendo causar dificuldade de respiração; sonolência, letargia e torpor; sangramentos.

Carregando...