Depilação a laser

Dez entre dez mulheres sonham em livrar-se dos pelos de forma definitiva, sem a necessidade de manutenção ou desconfortos. A depilação a laser tem se popularizado nos últimos anos exatamente por ser o mais perto de uma solução para o problema, principalmente quando se trata de áreas delicadas, como buço e virilha, por exemplo.

Mas, quais são os princípios básicos desta técnica? "A luz do laser é absorvida pelo pigmento encontrado no pelo. Essa energia é conduzida até as células germinativas que, quando danificadas, ficam impedidas de gerar novos pelos, fazendo com que o resultado seja permanente, na maioria dos casos", explica a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço (PR).

Como todo método depilatório, há contraindicações que precisam ser observadas com atenção. "Pacientes que tenham quaisquer doenças que sejam pioradas por exposição solar, gestantes ou pessoas que façam uso de medicações fotossensibilizantes, como isotretinoína, remédios orais para vitiligo e alguns antibióticos não devem se submeter a este tipo de depilação", afirma Dr. Pedro Zancanaro, médico da Amil Brasília. Quem possui doença autoimune, faz tratamento de acne com medicamentos ou tem problemas de cicatrização também deve evitar a técnica.

Um outro porém da depilação a laser está na coloração da pele. De acordo com a dermatologista Adriane Reichert Faria, médica da Paraná Clínicas, a eficácia do método é muito maior quando a pele não está bronzeada. "Quanto mais clara é a pele e mais escuro o pelo, melhor o resultado e menores as chances de adquirir manchas", afirma. "É melhor começar o tratamento a partir de abril e terminá-lo até setembro, com o fim do inverno". Ainda segundo a médica, o ideal é consultar um dermatologista antes de decidir fazer a depilação a laser para que ele possa levantar seu histórico de enfermidades e preparar a pele com pelo menos 20 dias de antecedência, prevenindo manchas.

Os especialistas concordam que, apesar de exigir mais cuidados que outros tipos de depilação, o uso do laser é muito seguro e alcança resultados altamente satisfatórios. "O método costuma remover cerca de 70% dos pêlos da região escolhida, com efeitos prolongados (de 2 a 5 anos) ou até mesmo definitivos, dependendo de uma série de fatores", explica a dermatologista Renata Domingues (RJ). "Os pelos voltam a crescer mais finos, fracos e em pequena quantidade. A pele é um órgão vivo e assim está sempre se regenerando. Novos folículos pilosos poderão surgir e novos pelos podem aparecer".

Dez dúvidas mais comuns:

1) Apenas dermatologistas podem aplicar o laser ou esteticistas e técnicos também estão aptos?
Ainda não foi aprovada legislação que atribua exclusivamente a aplicação do laser a médicos. Algo a ser cuidadosamente levado em consideração deve ser a habilitação do profissional ou da clínica em tratar as possíveis complicações do procedimento.

2) Quais os locais do corpo podem ser depilados? Existem restrições?
Todas as regiões do corpo podem ser submetidas à depilação a laser.

3) Quantas sessões são necessárias para acabar com os pelos?
Para as mulheres, geralmente, de 4 a 6 sessões são suficientes. Em homens, podem ser necessárias até 10 sessões.

4) Qual o preço médio de uma sessão?
O preço varia com a tecnologia usada, com o profissional a aplica e com o mercado de cada cidade. Em São Paulo, em uma região pequena, como a virilha, uma sessão custa em torno de R$ 550,00, com intervalos de 20 a 30 dias.

5) Existe mais de um tipo de laser? Como identificar?
Sim. Os lasers diodo têm um comprimento de onda ideal para remoção de pelos - o Light Sheer foi um dos primeiros com esse comprimento de onda e um grande sucesso por anos. O Soprano, aprovado pelo FDA americano, trata-se de uma nova geração dos lasers de diodo com o exclusivo SHR (super hair removal), que deixa a depilação menos dolorosa ao emitir pulsos com baixos picos de energia, porém com alta média de potência e com várias repetições. Isso permite ao Soprano uma depilação mais homogênea e efetiva.

6) Mesmo sendo aplicado corretamente, existe riscos de manchas, queimaduras e afins? Ou isso só acontece quando há erro?
Sim, o risco sempre existe. Por isso, é importante buscar um profissional qualificado para realizar o tratamento.

7) Qual a orientação sobre tomar sol antes e depois das aplicações?
As áreas submetidas ao laser não podem ser exposta à luz solar, sob o risco de manchar a pele. O paciente deve evitar o sol tanto antes quanto depois do procedimento.

8) Posso fazer esfoliação e tomar sol antes e depois da depilação?
Antes da depilação a recomendação é não tomar sol e depois é aconselhável evitar agressões à pele, como a esfoliação e o uso de roupas apertadas.

9) É correto dizer que a depilação a laser é definitiva em 100% dos casos?
Não. Ainda que seja definitiva para a maioria das pessoas, a depilação a laser não é definitiva em 100% dos casos. Há casos - como os de alteração hormonal, gestação, e utilização da técnica em pessoas muito jovens -, em que pode haver a recorrência. Sabe-se, também, que há um percentual dos pêlos que não responderão nunca ao tratamento. Mesmo apos 6 ou 7 sessões os pêlos podem permanecer. Mas, para a maioria dos pacientes, o resultado é definitivo, com o desaparecimento da grande maioria dos pelos.

10) O que devo fazer antes e depois da depilação a laser?
Antes do procedimento: não fazer depilação a cera por pelo menos 40 dias antes das sessões e raspar os pelos com barbeador manual 48h antes da sessão. Após a depilação: aplicar hidratantes e e fotoprotetores. A critério médico, podem ser aplicados medicamentos para reduzir inchaço ou vermelhidão local.

Tudo sobre depilação No Facebook

Enquete Yahoo!
Carregando...
Opções de escolha da enquete