Amor e outras coisas

‘Sou tímido e não consigo me aproximar’

"Olá Sandra! Sempre acompanho seus textos e estou com uma dúvida terrível. Sou tímido ao ponto de não conseguir me aproximar da mulher que amo. Tenho 22 anos  e encontrei a garota certa. Frequentamos a mesma academia, gostamos das mesmas atividades, já conversamos rapidamente, mas não sei o que fazer para quebrar o gelo. Pensei em escrever ou teclar com ela. Será que essa pode ser uma boa estratégia? Você me ajuda?"

Marcos, querido, bom dia!

Minha vontade é convidar você a compreender, primeiramente, que somos todos imperfeitos, humanos e, de certa forma, complicados. Talvez, isso possa ajudá-lo a compreender que não há porque ter medo, não há porque não correr o risco.

Segundo, tente trazer para essa situação a mesma performance que você tem na vida profissional. Fique atento e presente nos outros relacionamentos, naqueles que você não tem dificuldade, quer dizer timidez. Tente perceber como se sente quando está perto de seus amigos, familiares, colegas de trabalho etc. E, então, quando estiver perto dessa mulher, imagine-se em uma situação onde está sob o seu controle.

Para que você possa entender o porquê de nos sentirmos tímidos, e todos, todos temos os nossos momentos de timidez, vale ressaltar que essa sensação decorre de uma preocupação demasiada em agradar, somada a uma confusão de sentimentos que vai dentro.

Esse descompasso interno é o que nos faz ficar inseguros e sem ação, ou melhor, sem fala! Não conseguimos organizar ou nos colocar para o outro.

Isso é normal até certo ponto. A primeira vez que vamos nos apresentar em público, liderar uma equipe, um grupo de trabalho novo e, até mesmo, uma nova "paquera", todas essas situações podem de fato nos tirar do equilíbrio e dificultar a aproximação, o começo de uma conversa. E para isso há treinamento, capacitação, desenvolvimento e todo tipo de formação que nos ajuda a falar melhor em público, sem perder a linha de raciocínio. Sem perder a postura.

Não é esse o seu caso. Então talvez o que falte a você seja, mesmo, melhorar a autoestima, resgatar o amor próprio, os sonhos. É a partir daqui que a timidez vai embora, os pensamentos se aquietam e os sentimentos positivos ganham espaço interno.

Quanto a teclar, como vocês se encontram com certa frequência, penso que essa aproximação poderia mesmo ser ao vivo e a cores. Pense nisso. Se estiver seguro, convide-a para um café, um papo na própria academia. Por que não? Faça tudo de uma forma casual, despretensiosa, possível. É a partir daqui que vocês começarão a construir uma possibilidade...

No mais,  preste atenção nas dicas abaixo. Elas podem ajudá-lo a enfrentar o problema e, quem sabe, aproximar-se do seu amor:

Num primeiro encontro, não perca tempo falando bem ou mal da ex, dos problemas que tiveram, enfrentaram etc., etc. Muito menos das coisas que você não gosta. Você já percebeu como ficamos chatos, negativos, quando falamos do que não queremos ou gostamos para a nossa vida, então, ao contrário, conte a ela o que faz bem, o que importa para você, sonhos, projeto de vida etc..

Importante: sua timidez pode, de repente, tornar você um "falador". Não caia nessa armadilha. Não fale demais. Assuntos que tragam à tona temas como dinheiro, salário, sua vida sexual anterior não precisam ser abordados nesse primeiro encontro. E, o mais importante, dê a ela tempo para falar. Saiba ouvir. Use e abuse de empatia, respeito, cuidado e carinho.

Vou torcer por você. Fique com Deus.

Sandra Maia é autora dos livros Eu Faço Tudo por Você — Histórias e Relacionamentos Codependentes, Você Está Disponível? Um Caminho para o Amor Pleno e Coisas do Amor.

Dúvidas sobre relacionamentos? Envie para s2maia@yahoo.com.br que elas poderão ser comentadas aqui no blog.

Mais informações sobre a autora no www.sandramaia.com

Carregando...
 

Siga o Yahoo Entretenimento